Filme: A Escolha Perfeita 2

194616.jpg-c_520_690_x-f_jpg-q_x-xxyxx

Sinopse: Após conquistarem o sucesso, as Barden Bellas ganham a oportunidade de se apresentar para ninguém menos que o presidente dos Estados Unidos. Só que o show é um grande fiasco, o que as torna uma vergonha nacional. Diante do ocorrido, as Bellas são proibidas de participar de competições no meio acadêmico e até mesmo de aceitar novas integrantes. A única saída de Beca (Anna Kendrick), Fat Amy (Rebel Wilson) & cia é vencer o campeonato mundial a capela, o que apagaria as punições aplicadas ao grupo. Mas há um problema: nunca uma equipe americana venceu o torneio. Fonte: Adoro Cinema

Continue lendo

Fim de Semana ‘Clássicos Dançantes’

E o meu fim de semana de viagem resultou em quatro filmes, quase em sequência, de clássicos do cinema: Grease – Nos Tempos da Brilhantina, Dirty Dancing – Ritmo Quente, Flashdance e Os Embalos de Sábado a Noite.

Para mudar um pouco a forma dos posts que venho fazendo, resolvi colocar esses filmes em um mesmo post, falando rapidamente sobre o que achei de cada um, e a posição que cada um ficou na minha visão.

Vamos lá!

4º Os Embalos de Sábado a Noite

saturday-night-fever-movie-poster-1977-1020465922

Sinopse: Tony Manero (John Travolta), um jovem do Brooklyn e um excelente dançarino de disco music, só encontra significado na vida quando dança, pois passar a semana trabalhando em uma loja de tintas não o gratifica de forma nenhuma. Assim ele se perfuma, se veste de um jeito fashion e vai para a discoteca no final de semana. Sob a influência de seu irmão, um padre frustrado, e de Stephanie (Karen Lynn Gorney), sua parceira de dança, começa a questionar a maneira como encara a vida e a limitação de suas perspectivas. Paralelamente Tony vive uma crise amorosa, enquanto se prepara para participar de um concurso em uma discoteca. Fonte: Adoro Cinema

John Travolta cheio de gingado! rs
Não gostei tanto do filme, pois achei muito aquele tipo de filme que ‘parece que não vai pra lugar nenhum’.  O começo do filme mostra a vida de Tony, até a chegada de Stephanie, que começa a fazê-lo ver o mundo de forma diferente, e completamente oposta a forma como ele via e vivia as coisas até então. Esse foi o maior ponto do filme: a evolução do personagem Tony.
Achei o final meio sem graça, e que não parecia bem um final. Não sabemos que fim levou os amigos do Tony, nem as consequências dos atos idiotas que eles cometiam (incluindo o Tony). A única certeza que temos é que Tony pareceu decidir ‘crescer’ e parar de agir como um garoto do primário.

Nota: star (1)star (1)

 

3º Grease – Nos Tempos da Brilhantina

MPW-39958

Sinopse: Na Califórnia na década de 50, Danny (John Travolta) e Sandy (Olivia Newton-John), um casal de estudantes, trocam juras de amor mas se separam, pois ela voltará para a Austrália. Entretanto, os planos mudam e Sandy por acaso se matricula na escola de Danny. Para fazer gênero ele infantilmente lhe dá uma esnobada, mas os dois continuam apaixonados, apesar do relacionamento ter ficado em crise. Esta trama serve como pano de fundo para retratar o comportamento dos jovens da época. Fonte: Adoro Cinema

Overdose de John Travolta. Esse é o meu pensamento quando assisto o segundo filme, seguido, com o mesmo ator rsrs
Gostei muito mais desse filme do que o anterior. MUITO. Achei mais fluído, com cenas de canto e dança bem legais (musicais são ótimos, vamos admitir). Foi ótimo ver o desenvolvimento de Danny e Sandy no filme, junto com outros personagens que os rodeia. Gosto bastante quando focam um pouco nos personagens secundários, pois muitos, as vezes, são mais interessantes que os próprios protagonistas (não foi esse o caso).

O fim foi bem inesperado (pelo menos para mim) e achei bem drástica a mudança de Sandy. Normalmente vejo homens mudando para as mulheres, mas nesse filme não; foi a mulher mudando para o homem. Apesar de ter me incomodado muito ao ver que a mulher teve que abandonar seu jeito de ser para ‘agradar’ o homem, achei interessante ver o conceito e os hábitos daquela época, afinal, estamos falando de um filme de 1978, e todo mundo sabe como era a situação da mulher naquele tempo. Nada mais marcante para terminar um filme.

Nota: star (1)star (1)star (1)

 

2º Flashdance

em-ritimoSinopse: Uma jovem (Jennifer Beals) de garra e talento não mede esforços para realizar o sonho de se tornar uma bailarina. Para tanto, durante o dia ela trabalha como operária e à noite solta seu corpo no ritmo alucinante das discotecas. Fonte: Adoro Cinema

Confesso que não sabia o que esperar desse filme. Acabei baixando e assistindo porque amigos e colegas sempre me recomendavam. Sem nem saber a sinopse direito, assisti e gostei bastante.

Esse filme foi o mais dançante de todos. Em vários momentos vemos a protagonista praticando dança, ou trabalhando com a dança (no caso, numa boate). Apesar de ter gostado bastante da protagonista, achei ela meio repetitiva em várias situações.

Mas o final… Muito empolgante! Você fica torcendo pra ela passar no teste, torcendo muito mesmo, ai quando ela vai para o teste, você fica surtado pra saber o que, e como ela vai dançar. Chego aos créditos finais feliz da vida com a conclusão dessa história.

Nota: star (1)star (1)star (1)star (1)

 

 

1º Dirty Dancing – Ritmo Quente

dirty-dancing

 

Sinopse: Em 1963, Frances Houseman (Jennifer Grey), ou “Baby”, como é chamada pela família, uma jovem de 17 anos, viajou com seus pais, Marjorie (Kelly Bishop) e Jake Houseman (Jerry Orbach) e sua irmã Lisa (Jane Brucker) para um resort em Catskills. Ao contrário de Lisa, que pensa em roupas, Frances é idealista e quer estar no próximo verão no Corpo da Paz estudando a economia dos países do Terceiro Mundo. Assim, ela espera que este seja o último verão como uma adolescente despreocupada, mas Baby não se dá muito bem com sua irmã mais velha e está entediada em tentar distrair os hospedes mais velhos (foi envolvida nesta situação por seu pai). Até que numa noite Baby ouve algo que parece ser um som de festa no alojamento dos funcionários (que os hospedes não podem ter acesso). Ela consegue entrar na festa graças a um empregado e descobre que ali o pessoal realmente se diverte com danças, que Max Kellerman (Jack Weston), o dono do hotel, não permite. Baby chega a dançar com Johnny Castle (Patrick Swayze), um professor de dança, e logo fica apaixonada por ele. Quando Penny Johnson (Cynthia Rhodes), a parceira de dança de Johnny, fica grávida por ter se envolvido com Robbie Gould (Max Cantor), um dos garçons, Baby se oferece para aprender a dançar e substituir Penny, mas o pai de Baby, quando descobre, não gosta disto, pois considera que Johnny é de outra classe social e Baby é jovem demais para entender seus sentimentos. Fonte: Adoro Cinema

 

QUE FILME!
Lembro de ter ficado imensamente emocionada com a dança final deles. Foi um filme empolgante, romântico, delicado e sensual, sem ser vulgar, tudo ao mesmo tempo.
A química de Johnny e Baby é inegável no decorrer do filme. No começo você não sente isso, mas conforme eles vão convivendo, você vai vendo, claramente, os sentimentos evoluírem. E claro, com um o toque da dança, que deixa tudo ainda mais perfeito.

Gosto deles não terem se apaixonado logo de cara (pelo menos não o Johnny rs). Primeiro vemos uma certa amizade entre eles até evoluir para uma paixão. É tão intenso o momento que a Baby revela seus sentimentos. Surtei rs

Essa dança final merece ser compartilhada. Contém spoiler

Esse é um filme que vou fazer questão de procurar em DVD pra ver de novo, e de novo, e de novo. Perfeito ❤

Nota: star (1)star (1)star (1)star (1)star (1)

Filme: Annie

annie_xlg

 

Sinopse: 1930. A pequena Annie (Aileen Quinn) vive num orfanato comandado pela terrível Srta. Hannigan (Carol Burnett), uma verdadeira megera. Sua sorte muda quando ela é escolhida para passar uns dias na casa do milionário Oliver Warbucks (Albert Finney), onde acaba conquistando todos os funcionários. Annie derrete também o coração do Sr. Warbucks, que decide ajudá-la a reencontrar seus pais. Fonte: Adoro Cinema

Continue lendo